Sou impaciente? Como ser mais paciente?

Olá a todos!
Eis a ideia para vocês refletirem ao longo da semana: “sou impaciente? como ser mais paciente?”

Todos nós gostaríamos de ser mais pacientes, de ter maior controle emocional, de ser mais equilibrados. No entanto, parece que a impaciência nos domina e não conseguimos vencê-la.

Com a ajuda de Deus, todos nós podemos ser cada dia melhores e ir limando as arestas do nosso temperamento. Mas é preciso saber fazer isso.

Com relação à impaciência, a dica que gostaria de dar hoje é a seguinte: para combatê-la, além de pedir a Deus, precisamos identificar a sua causa e arranjar o remédio adequado.

Graças a Deus, não é tudo que nos tira a paciência. Se formos elencar os campos de impaciência, vamos perceber que são uns três ou quatro. Talvez, em algumas situações, são um pouco mais. Isso já nos anima bastante, pois, quando não pensamos com profundidade, parece que a falta de paciência está estendida por todos os campos.

Assim, vamos apontar algumas situações concretas, por exemplo:
– perco a paciência toda vez que minha filha rebate o que falo;
– perco a paciência toda vez que alguém me fecha no trânsito;
– perco a paciência toda vez que um funcionário faz algo diferente daquilo que combinei.

Uma vez identificadas as fontes da impaciência, o que precisamos fazer é arranjar o remédio adequado. O que significa isso? Significa pensar: “o que Jesus faria se estivesse no meu lugar?”.

Vamos pensar no primeiro exemplo acima. Jesus olharia essa filha com todo amor e compreensão. Está certo que ela não deve rebater o que um pai ou uma mãe lhe dizem, pois deve aprender a ter respeito, a perceber que seu pai ou sua mãe querem o seu bem e têm mais experiência da vida do que ela. Que o certo seria ouvir o comentário dos pais com grande atenção e, depois, caso não concordasse com aquilo, os procurasse para conversar serenamente em outro momento. Mas, se essa filha ainda não aprendeu essas coisas, não será na base da irritação e da impaciência que ela vai melhorar. O que precisaria, talvez, seria conversar com calma com ela, saber melhor o que tem no coração, quais são suas angústias e inquietações, seus sentimentos mais profundos etc. Ou seja, talvez o que essa filha esteja precisando seja de um pai que a compreenda mais e que, para isso, gaste mais tempo com ela, coisa da qual talvez esteja descuidando nos últimos tempos.

Veja só quantas coisas interessantes podem vir quando paramos para pensar melhor na vida, no nosso comportamento, nas nossas impaciências!

Vamos pensar só mais num exemplo, no do trânsito. Como Jesus faria se estivesse no nosso lugar? Primeiramente não xingaria ninguém pelo simples fato de que todos são seus filhos. Um pai olha com amor para os seus filhos, ainda que cometam erros. Em segundo lugar, Jesus olharia esses filhos que fazem coisas erradas ao dirigir o carro com paciência; não está certo o que estão fazendo, mas todos nós fazemos coisas erradas, e eles também. E precisamos ajudar uns aos outros a ser melhores. Um caminho para ajudar quem não está próximo a mim é a oração. Nesse sentido, com toda certeza, teríamos muito mais paz no trânsito se aproveitássemos esse momento para rezar, para nos unir a Deus.

Que essas ideias os ajudem a ir vencendo as impaciências que penetram sorrateiramente no nosso coração e nos fazem um grande mal, tirando a nossa paz, tirando a paz das pessoas que vivem à nossa volta e causando também estragos na nossa saúde.

Uma semana abençoada a todos!
 
Padre Paulo