Sentido da vida: conhecer e amar a Deus

Olá a todos!
Eis a ideia para vocês refletirem ao longo da semana: “sentido da vida: conhecer e amar a Deus”.

Um livro que marcou muito a minha vida foi “A fé explicada”, de Leo Trese. Trata-se de um texto que resume as verdades de fé de um modo atraente para pessoas adultas. Recomendo-o muito a todos vocês que leem as minhas mensagens.

Logo no primeiro capítulo, o autor começa de modo intrigante:
 
POR QUE ESTOU AQUI?
 
É o homem um mero acidente biológico? É o gênero humano uma simples etapa num processo evolutivo, cego e sem sentido? É esta vida humana nada mais que uma cintilação entre a longa escuridão que precede a concepção e a escuridão eterna que virá após a morte? Sou eu apenas um grão de poeira insignificante no universo lançado à existência pelo poder criador de um Deus indiferente, como a casca inútil que se joga fora sem pensar? Tem a vida alguma finalidade, algum plano, algum propósito? Enfim, donde é que eu venho? E por que estou aqui?
 
E aí, para explicar por que estamos aqui, ele vai contar a história de um soldado americano da qual, desde que li pela primeira vez, há muitos anos, não mais esqueci.

Em resumo, esse soldado foi servir o Exército numa base militar afastada do continente e, em determinado momento, recebeu um jornal que continha a foto de uma moça muito bonita; por sorte, havia ali também o endereço dela. Ele escreveu para ela sem muita pretensão, e, para sua surpresa, ela respondeu. Começaram a trocar cartas e, por intermédio delas, iniciaram um namoro. Pensando em como ela gostaria que ele se portasse se ela estivesse na base militar, o soldado passou a mudar algum comportamento e a cuidar um pouco mais de algumas coisas, por exemplo fazer a barba, assear-se com mais frequência etc., imaginando que isso a agradaria.

Depois de meses servindo naquela base militar, chegou o dia tão esperado da volta. Imaginem o sentimento dos dois de se verem face a face pela primeira vez!!! Assim que desceu do navio, começou a procurá-la. Quando a viu, ele a abraçou querendo que aquele momento se prolongasse para toda a eternidade.

Aí o autor faz uma comparação entre esse soldado e a vida de cada um de nós aqui na terra. Ele vai lembrar que esta vida aqui na terra, como sabemos, é passageira. E por quê? Porque, pelo querer de Deus, esta vida é só uma preparação para a outra. Esta vida é um corresponder ao amor de Deus para ir ao encontro dEle na outra vida e para dar o abraço eterno, vivendo eternamente feliz com o amor dos amores.

Então o autor faz o seguinte raciocínio: imaginem que o soldado não tivesse se correspondido com aquela moça. No dia da sua volta, ela até poderia estar no porto e passar ao lado dele, mas ela não iria significar nada para ele. Da mesma forma, conclui o autor, se nós não nos correspondermos com Deus aqui na terra, se não alimentarmos o nosso amor por Ele, se não nos esforçarmos para nos comportar e atuar como Ele gostaria que nos comportássemos e atuássemos, Ele não significará nada para nós na hora que Deus nos chamar à sua presença.

Não é interessante essa história do soldado americano? Não é verdade que temos de ir ao encontro do amor a Deus aqui na terra para que Deus possa significar algo para nós na outra vida, que é a verdadeira vida, a eterna?

O que Deus nos diz a esse respeito? Uma frase que não podemos esquecer jamais: “Amarás o Senhor teu Deus com todo o teu coração, com toda a tua alma, com toda a tua força, com todo o teu entendimento” (Mateus 22, 37).

Pensemos nessa história do soldado americano e façamos o propósito de não perder tempo nesta vida, de ir atrás do amor a Deus com todo o nosso coração, com toda a nossa alma, com toda a nossa força, com todo o nosso entendimento.
 
Uma santa semana a todos!
 
Padre Paulo