Qualidades para termos muitos amigos

Olá a todos!
Eis a ideia para vocês refletirem ao longo da semana: “qualidades para ter muitos amigos”.

Um tempo atrás, li um texto sobre a amizade que me fez pensar nas qualidades para termos amigos, muitos amigos. Se pensarmos a fundo, veremos que não é nada fácil termos essas qualidades. Há muitas barreiras que nos impedem de as termos.

O texto diz assim:

O que é um amigo? É uma pessoa com quem nos atrevemos a ser o que somos verdadeiramente. Nossa alma pode se mostrar sem máscaras a ele. Com ele não é necessário estar precavido. Podemos dizer tudo quanto pensamos, exprimir todos os nossos sentimentos. Nada o surpreende, nada o ofende (…). Com ele respiramos livremente. Podemos ficar à vontade, tirar o paletó e desabotoar o colarinho, confessar nossas vaidades, nossas invejas, nossos ódios e ímpetos de má intenção, nossa mesquinharia e nossas práticas absurdas. À medida que nos abrimos com ele, tudo isso se perde no oceano puro da lealdade
(Frank Crane).

Como são belas e profundas essas palavras!!! Esse texto destaca qualidades essenciais para a amizade: o respeito e a admiração.

Um amigo é alguém que olha para nós e nos admira, apesar de todos os pesares, apesar de todos os nossos defeitos e limitações. É alguém que nos respeita profundamente, por isso nos “atrevemos”, quando estamos com ele, a ser quem realmente somos, sem precisar usar máscaras, fingir, fazer teatro, estar precavidos. Podemos dizer tudo o que pensamos, exprimir todos os nossos sentimentos, sem ser julgados, condenados, criticados negativamente. Graças a esse respeito e admiração, nada o surpreende, nada o ofende. Com ele respiramos livremente.

Pensando na nossa capacidade de fazer mais amigos, será que as pessoas que vivem à nossa volta sentem esse profundo respeito e admiração da nossa parte? Será que as pessoas respiram livremente quando estão na nossa companhia? Ou será que, mal elas surgem à nossa frente ou começam a falar, já nos pomos a julgá-las, a condená-las, a criticá-las? Tenho profundo respeito e admiração, por exemplo, pela minha esposa, pelo meu marido, pelos meus filhos?

Em vista disso, podemos dizer que a primeira qualidade fundamental da amizade é a humildade. Só o humilde consegue olhar os outros com profundo respeito e admiração. O orgulhoso se julga superior e por isso vive criticando os outros, vendo neles defeitos e mais defeitos; e por isso quase não tem amigos. O humilde, por outro lado, nunca se vê como superior aos demais. Sabe que é feito “da mesma pasta” que os demais e sabe ver em si muitos e muitos defeitos.

Outra qualidade importantíssima da amizade é a generosidade que leva a saber gastar tempo com os amigos. E aqui há um grande obstáculo que é o egoísmo. O egoísta vive dizendo que não tem tempo. E o que não falta são justificativas: veja só quanto eu trabalho, depois preciso fazer academia, senão não aguento o ritmo de trabalho, depois preciso fazer aquele curso de inglês, e a terapia, e a pós-graduação, e responder aos inúmeros grupos de WhatsApp, e ver os vídeos que me interessam no YouTube etc… Não há dúvida que o mundo de hoje exige de nós uma demanda de tempo em diversas atividades, mas uma pessoa valiosa sempre encontra tempo para estar com os amigos e não utiliza o seu excesso de atividades como justificativa para não estar com eles.

Devido aos inimigos da amizade, um grande mal que o mundo padece hoje, apesar de estarmos rodeados de tanta gente, é a solidão, como reflete a história abaixo:

Uma ocasião, um rapaz viu um cego na calçada que estava esperando que alguém o ajudasse a atravessar a rua. Ofereceu-se e começaram a andar. O cego era um homem de uns 60 anos. Bem vestido. Não era um mendigo. Tinha, no entanto, um ar de tristeza no rosto. No meio da rua, apertou os braços deste rapaz, encostou a cabeça no seu ombro e começou a chorar sem dizer nenhuma palavra. Ao chegar à calçada, o rapaz perguntou-lhe se estava se sentindo mal, pensando que estava sofrendo pelo fato de ser cego. Respondeu-lhe que seu problema não era físico, mas outro muito pior.

– Sinto-me só, muito abandonado. E a solidão é pior do que a cegueira. Quando se é cego e alguém o acompanha com carinho, há sempre luz lá por dentro. O pior é quando tudo está apagado.
O rapaz ficou muito impressionado com essas palavras e lhe disse:
– Posso ajudá-lo em alguma coisa?
– Sim. Reze por mim, reze para que eu nunca me sinta só, para que tenha sempre boas almas, almas amigas à minha volta e não padeça da maior falta de luz que é a luz do amor.

Vamos repensar nossos valores e analisar se temos as qualidades para sermos bons amigos, se somos humildes e generosos. Vale a pena investir nesse campo, pois, como diz a Bíblia, as amizades, com Deus, com o próximo, são nossas maiores alegrias aqui na terra!!!

Uma semana abençoada a todos!

Padre Paulo