Orações de abandono – I

Olá a todos!
Eis a ideia para vocês refletirem ao longo da semana: “orações de abandono –  I”.

Gostaria de ensinar nas próximas semanas a todos aqueles que recebem minhas mensagens algumas orações de abandono.

O que são orações de abandono? São orações que têm como finalidade acalmar o nosso coração que está aflito por alguma dificuldade.

O que Deus nos ensina a fazer quando algo nos aflige? Confiar, ter fé que Ele cuida de nós e que, portanto, não há nada o que temer. De fato, quanto maior é a fé na existência de Deus e que Ele é nosso Pai e, portanto, nos ama infinitamente e cuida de nós como o melhor pai que possa existir, mais serenos e abandonados nas suas mãos estaremos.

Orações de abandono são orações que avivam esta fé e nos levam a abandonar-nos completamente no regaço de Deus.

A primeira oração que gostaria de comentar é uma oração de Nossa Senhora de Guadalupe. As palavras desta oração foram ditas por Nossa Senhora numa das aparições de Guadalupe, na cidade do México em 1531. É, na minha opinião, uma das palavras mais reconfortantes ditas por Maria a nós, que somos seus filhos. São dirigidas concretamente ao índio Juan Diego, vidente de Guadalupe, um pouco antes da imagem de Nossa Senhora ser impressa no seu poncho. Juan Diego estava se dirigindo à cidade do México, extremamente aflito, e como que fugindo da Virgem Santíssima, pois precisava chegar logo à cidade do México, pois seu tio estava morrendo. No meio do caminho, Nossa Senhora aparece na sua frente e lhe diz:

Escuta, e guarda-o no teu coração, meu filhinho, que o que te assusta e te aflige é nada. Não se perturbe o teu rosto nem o teu coração, não temas esta doença, nem nenhuma outra doença ou coisa dolorosa e aflitiva. Não estou eu aqui, eu que sou tua Mãe? Não estás sob a minha sombra e resguardo? Não sou eu a fonte da tua alegria? Não estás debaixo do meu manto e no meu colo? Por acaso tens necessidade de alguma outra coisa? Nada te aflija ou te perturbe.

Vamos repassar com calma o que Nossa Senhora está nos dizendo.

Em primeiro lugar diz para que escutemos, que prestemos atenção com carinho o que ela vai dizer. E que guardemos isso no nosso coração. Que nunca mais esqueçamos o que ela vai nos dizer.

Depois chama Juan Diego de “meu filhinho”. Não é bonito isto? Todos nós somos seus filhinhos!!!

Em seguida diz umas palavras que mostram todo o seu poder: “o que te assusta e te aflige é nada”. Por que Nossa Senhora pode dizer isso? Porque ela é nada mais, nada menos, do que a mãe de Deus, a mãe do Criador do Céu e da Terra. E o que ela pedir para o seu filho, ele o fará. De fato, nesta mesma hora o seu tio ficou curado. Juan Diego ficará sabendo da sua cura mais tarde, quando se encontrar com o seu tio.

Depois Nossa Senhora diz: “não se perturbe o teu rosto nem o teu coração”. É como se ela estivesse dizendo: “olha, meu poder é tal que não há motivo nem sequer de que teu rosto fique perturbado”. Que coisa! Quantas vezes ficamos com o rosto perturbado! Se isto acontece, Nossa Senhora nos dirá: “você está assim, pois você ainda não confia totalmente em mim, eu que sou a tua mãe. Você ainda não confia que, como ela diz mais adiante, você está sob a minha sombra e resguardo, que você está debaixo do meu manto e no meu colo”.

Portanto, continua Nossa Senhora nos dizendo: “não temas esta doença, nem nenhuma outra doença ou coisa dolorosa e aflitiva”. Isto é: “não temas nada”!!! “Nada te aflija ou te perturbe”!!!

Vamos pedir a Deus que nos ajude a nunca mais esquecer estas palavras de Nossa Senhora. Que coisa melhor é estar no colo de uma mãe! Se já é tão bom estar no colo da nossa mãe da terra, quanto mais de Nossa Senhora que é mãe de todos nós e mãe de Deus, que nos ama com um amor infinito e pode tudo diante de Deus.

Vamos guardar esta oração e repeti-la sempre que for necessário. Fazendo assim, a força das suas palavras irá penetrando no nosso coração e nosso abandono se tornará cada vez mais robusto.

Uma santa semana a todos!

Padre Paulo