O valor do aproveitamento do tempo

Olá todos!
Eis a ideia para vocês refletirem ao longo da semana: “o valor do aproveitamento do tempo”.

Não há tempo a perder! O tempo vale ouro!

Quantas vezes já ouvimos frases como estas. E elas fazem todo o sentido, pois a vida é breve. Se já fazem sentido quando uma pessoa pensa em aproveitar esta vida, em ganhar dinheiro – daí o tempo valer ouro – muito mais quando, do ponto de vista de Deus, está em jogo o cumprimento da nossa missão aqui na terra.

De fato, um dos ensinamentos mais importantes de Jesus Cristo foi a parábola dos talentos e o comentário que fez diante de uma figueira estéril. Na parábola dos talentos nos diz que nos envia a este mundo com uns talentos concretos e no final da nossa vida nos pedirá contas do que fizemos com eles. Se, com eles, soubemos rendê-los, cumprir uma missão. Quanto à figueira estéril, ao se aproximar dela e ver que só tinha folhas e não frutos, faz-lhe uma censura por sua esterilidade. A figueira é uma imagem clara da vida humana.

Todos somos conscientes de que temos uma missão a cumprir aqui na terra e de que temos que ir atrás deste objetivo com todas as forças. Temos uma missão a cumprir na nossa família, na empresa onde trabalhamos, com os nossos amigos, na sociedade e em todos os ambientes da nossa vida.

Para cumprir esta missão só há um meio: organizar-se, planejar-se, termos um horário por escrito.

Com tantos âmbitos na nossa vida, familiar, profissional, pessoal, amizades, social etc, se não nos organizamos:
– sempre haverá algum campo que não estaremos cuidando;
– a preguiça falará mais alto;
– faremos o que gostamos e deixaremos para depois ou para nunca o que não gostamos;
– perderemos o tempo.

É vital, portanto, o planejamento. É vital colocar por escrito o que temos que fazer cada dia. Se não fizermos isto, experimentaremos o que diz um autor: “o vazio de uma vida desperdiçada”.
Uma dica concreta neste planejamento é fazer um horário por escrito de segunda a domingo, desde a hora de acordar até a hora de dormir, com todos os nossos compromissos e, também, os descansos. O ideal seria ter um horário fixo onde cada segunda-feira é igual às outras segundas-feiras e assim por diante. Para elaborar este horário vocês podem elencar primeiro todos os compromissos ou atividades que deveriam estar na nossa agenda. Uma vez elencados estes compromissos, ir colocando um a um na agenda, até que todos estejam lá. Estes compromissos, de modo bem geral serão: compromissos com Deus, compromissos com os outros e compromissos conosco próprios. Neste planejamento deverá constar o horário que iremos rezar, que estaremos com os familiares e amigos, que faremos esporte, um passeio, o horário que iremos ler um livro de literatura etc.

Como é lógico, não se trata de bitolações. O valor que deve estar na frente de todos é o da caridade: o amor a Deus e ao próximo. Assim, por exemplo, se chegar de viagem um tio que mora em outra cidade e no nosso horário está previsto fazer um esporte, logicamente vamos receber este tio e depois veremos se será possível fazer a nossa atividade física. Sem bitolações, portanto, mas sem cair no outro lado que é não planejar nada e deixar tudo ao sabor das emoções.

Como é gostoso ter uma ordem, um planejamento e ter a sensação de estar aproveitando imensamente o tempo da nossa vida. Fomos feitos para isso, para deixar marca na terra, para cumprir uma missão bem grande. E, por isso, sentimos falta de um planejamento melhor.

Saibamos organizarmos mais e veremos como nossa vida se encherá de uma alegria indescritível. Para o aproveitamento do tempo segue uma outra dica valiosa:

Uma santa semana a todos!

Padre Paulo