Fim de ano: esperança

Olá a todos!
Eis a ideia para vocês refletirem ao longo da semana: “fim de ano: esperança”.

Estamos a poucos dias de terminar o ano. É natural nessa hora olhar para trás e fazer um balanço do ano que passou.

A palavra que mais apareceu neste ano para nós, brasileiros, foi “crise”. O país está em crise institucional, política, econômica, de valores etc. E tudo indica que o ano que vem também será muito difícil do ponto de vista econômico, que é o que mais diretamente nos afeta.

Como sacerdote, tive de ser o apoio para várias pessoas que estão desempregadas e para um bom grupo de pessoas que estão numa situação econômica delicada.

O que poderia dizer a vocês diante dessa situação? Várias coisas.

Em primeiro lugar, que é importante que nos apoiemos mais em Deus, lembrando aquilo que Ele nos disse e que é tão reconfortante: Portanto, eis que vos digo: não vos preocupeis por vossa vida, pelo que comereis, nem por vosso corpo, pelo que vestireis. A vida não é mais do que o alimento e o corpo não é mais que as vestes? Olhai as aves do céu: não semeiam nem ceifam, nem recolhem nos celeiros, e vosso Pai celeste as alimenta. Não valeis vós muito mais que elas? Qual de vós, por mais que se esforce, pode acrescentar um só côvado à duração de sua vida? E por que vos inquietais com as vestes? Considerai como crescem os lírios do campo; não trabalham nem fiam. Entretanto, eu vos digo que o próprio Salomão no auge de sua glória não se vestiu como um deles. Se Deus veste assim a erva dos campos, que hoje cresce e amanhã será lançada ao fogo, quanto mais a vós, homens de pouca fé? Não vos aflijais, nem digais: Que comeremos? Que beberemos? Com que nos vestiremos? São os pagãos que se preocupam com tudo isso. Ora, vosso Pai celeste sabe que necessitais de tudo isso. Buscai em primeiro lugar o Reino de Deus e a sua justiça e todas estas coisas vos serão dadas em acréscimo. Não vos preocupeis, pois, com o dia de amanhã: o dia de amanhã terá as suas preocupações próprias. A cada dia basta o seu cuidado (Mateus 6, 25-34).

Apoiar-se mais em Deus significa rezar mais e confiar mais. Deus é meu Pai e não deixará que falte nada que julga ser importante para nós.

Em segundo lugar, arregaçar as mangas e colocar todos os meios ao nosso alcance para superarmos a crise. Outro dia, uma pessoa me disse que a solução para esses momentos mais difíceis é pegar a palavra “crise” e tirar o “s” dela. Isso mesmo, essa é a solução: crie.

Um período de crise é um período de inovação, de criação. Nunca podemos olhar a crise com olhos negativos. É na crise que amadurecemos, encontramos novas motivações humanas e espirituais, nos inventamos etc. Superar a crise é um desafio, e o ser humano se alimenta de desafios. A pior coisa que nos pode acontecer é não ter mais desafios para enfrentar. As pessoas que moram em países muito desenvolvidos sofrem desse problema. A vida para elas vira um tédio. Quando morei na Europa, uns anos atrás, percebia isso nas pessoas.

Vamos fazer o propósito, então, de sair do imobilismo depressivo e arregaçar as mangas para encontrar novas portas que podem ser abertas, novos caminhos que podem ser trilhados. Nesse sentido, pode ser uma fonte inspiradora para nós o que fez o senhor Soichiro Honda, o dono da Honda, para chegar aonde chegou:

Um homem investe tudo o que tem numa pequena oficina. Trabalha dia e noite, inclusive dormindo na própria oficina. Para poder continuar nos negócios, empenha as próprias joias da esposa. Quando apresentou o resultado final de seu trabalho a uma grande empresa, dizem-lhe que seu produto não atende ao padrão de qualidade exigido. O homem desiste? Não! Volta à escola por mais dois anos, sendo vítima da maior gozação dos seus colegas e de alguns professores que o chamavam de “visionário”. O homem fica chateado? Não! Após dois anos, a empresa que o recusou finalmente fecha contrato com ele. Durante a guerra, sua fábrica é bombardeada duas vezes, sendo que grande parte dela é destruída. O homem se desespera e desiste? Não! Reconstrói sua fábrica, mas um terremoto novamente a arrasa. Essa é a gota d’água e o homem desiste? Não! Imediatamente após a guerra, segue-se uma grande escassez de gasolina em todo o país e esse homem não pode sair de automóvel nem para comprar comida para a família. Ele entra em pânico e desiste? Não! Criativo, ele adapta um pequeno motor à sua bicicleta e sai às ruas. Os vizinhos ficam maravilhados e todos querem também as chamadas “bicicletas motorizadas”. A demanda por motores aumenta muito e logo ele fica sem mercadoria. Decide então montar uma fábrica para essa novíssima invenção. Como não tem capital, resolve pedir ajuda a mais de quinze mil lojas espalhadas pelo país. Como a ideia é boa, consegue apoio de mais ou menos cinco mil lojas, que lhe adiantam o capital necessário para a indústria. Encurtando a história: hoje a HONDA CORPORATION é um dos maiores impérios da indústria automobilística japonesa, conhecida e respeitada no mundo inteiro. Tudo porque o senhor Soichiro Honda, seu fundador, não se deixou abater pelos terríveis obstáculos que encontrou pela frente.

Uma última dica: nesse esforço para saber diariamente para onde ir, nada melhor do que perguntar a Deus. Deus sabe qual é o caminho que devemos trilhar. Deus tem a luz de que precisamos. Sabe qual é a porta que precisa ser aberta. Se vamos sozinhos, é muito fácil errar o caminho. Uma boa oração para repetir diariamente é esta: “Senhor, te amo, quero ser um instrumento nas tuas mãos. Senhor, confio plenamente em ti. Mostra-me o caminho que devo seguir”!

Desejo a todos um feliz Ano-Novo e que, com a graça de Deus, possamos colher em 2016 muitos e muitos frutos!!!

Que Deus vos abençoe!!!

Padre Paulo