A bondade autêntica – IV

Olá a todos!
Eis a ideia para vocês refletirem ao longo da semana: “a bondade autêntica – IV”.
 
Depois de refletirmos sobre o terceiro grau de bondade, agora podemos dar mais um passo e definir a pessoa “muito boa”.

A pessoa “muito boa” é aquela que:
– tem uma bondade em seu coração (o primeiro nível de bondade);
– sabe arregaçar as mangas para ajudar o próximo (o segundo nível de bondade);
– tem a fortaleza de corrigir o próximo ajudando-o a ser melhor (o terceiro nível de bondade); e
– procura a cada dia se parecer mais com Deus, que é a suma bondade, empenhando-se em falar dEle, e espalhar a suma bondade, às pessoas (o quarto nível de bondade).

Uma pessoa que atingiu o terceiro nível de bondade ficará com uma bondade limitada se não tiver Deus, ou Jesus Cristo, como modelo de vida, pois Deus é a bondade infinita, o Sumo Bem.

Jesus Cristo é o meu modelo de vida? Medito na Sua vida para aprender como devo me comportar em cada momento? Procuro ler diariamente os Evangelhos, que são os quatro primeiros livros do Novo Testamento, para conhecer cada dia melhor como era Jesus Cristo? Olhando para Jesus Cristo vou procurando adquirir as virtudes que me faltam e arrancar os meus defeitos?

Para a pessoa “muito boa”, Cristo é o grande modelo de vida. O grande propósito de sua vida é imitá-Lo e amá-Lo. Outras pessoas têm como propósito de vida ganhar dinheiro, ter sucesso, ter uma vida confortável etc. Mas para a pessoa “muito boa” nada disso é o mais importante. Seu propósito é o maior que possa existir: imitar e amar Jesus Cristo.

Mas ela vai ainda além. Ela sente uma necessidade imperiosa de falar de Deus para as pessoas. Ela quer que todas as pessoas conheçam o Sumo Bem, pois o Sumo Bem é a fonte da Suma Felicidade. Como vimos anteriormente, a pessoa boa quer fazer o bem às outras pessoas, pois quer que elas sejam felizes. E, quando a pessoa boa encontra Deus, o que ela mais quer é passar Deus para os demais, pois Ele é a fonte inesgotável de Felicidade.

Nesse sentido:
– posso dizer que já encontrei Deus na minha vida?
– posso dizer que já comprovei que Deus é o Sumo Bem, a Suma Felicidade?
– percebo que, quanto mais profundo é esse encontro com Deus, maior é o desejo de falar dEle para os demais?
– tenho sido um pregoeiro de Deus?

Pensando nessas ideias, não há dúvida de que uma pessoa será tanto melhor quanto mais se parecer com Cristo, e, nesse sentido, a bondade não tem limite. É um processo de crescimento sem fim. E também, quanto mais se parecer com Cristo, maior será o desejo de falar de Deus aos conhecidos e amigos. O Bem, a Bondade que havia no coração de Cristo eram tão grandes que chegou a dizer: “Fogo vim trazer à terra”! Ou seja, ardia um amor tão grande dentro do seu coração que não queria outra coisa senão espalhar esse fogo do Amor a todas as pessoas da terra.

Posso dizer que sou hoje uma “labareda de amor” e que me consome o desejo de que todos descubram a Deus?

Penso que agora temos uma ideia mais profunda do que é ser bom. Espero que essas ideias sirvam para que todas as pessoas sejam a cada dia muito, muito boas e façam uma grande diferença neste mundo.
 
Uma semana abençoada a todos!
 
Padre Paulo